Décadas De Som

Décadas De Som é um blogue que visa recordar as grandes bandas do passado que não tiveram
o espaço que mereciam na mídia, ou que já o perderam, e falar das novas que são competentes
para serem grandes, mas que por alguma razão ainda não o são.

terça-feira, 7 de setembro de 2010

Aborto Elétrico



Precursor de todo o rock de Brasília, o Aborto Elétrico surgiu em 1978 com proposta e influência do punk rock inglês dos Sex Pistols, The Clah, The Damned e The Adicts, dentre outros.

Em sua primeira formação contou com:

André Pretorius - guitarra;
Fê Lemos - bateria;
Renato Russo - baixo, vocal.

Dois anos depois de seu início, a banda teve de mudar de formação devido a saída de André Pretórius, que foi convocado a prestar serviço militar na África do Sul. Renato Russo assumiu a guitarra, e o novo baixista do Aborto Elétrico foi Flávio Lemos, irmão do baterista. Em seguida um quarto convidado foi integrado à banda, Ico Ouro Preto, irmão de Dinho Ouro Preto, cuja função foi ser guitarrista.

Depois de muitos shows por Brasília, e nenhum disco lançado, em 1982 o Aborto Elétrico foi oficialmente encerrado. De acordo com Fê Lemos, após uma apresentação na qual Renato Russo errou várias vezes a letra de várias músicas, ele atacou uma baqueta em suas costas, e como reação o vocalista disse que não mais faria parte da banda.

Com o fim do Aborto Elétrico, novas bandas foram formadas: Capital Inicial, Legião Urbana e Plebe Rude. O repertório foi dividido entre as duas primeiras bandas, sendo que a primeira ficou com "Fátima", "Ficação Científica", "Música Urbana" e "Veraneio Vascaína", e a segunda com "Conexão Amazônica", "Geração Coca-Cola", "Que País É Esse?", "Química" e "Tédio (Com Um T Bem Grande Pra Você)".

Outras músicas não participaram da partilha, mas também não foram esquecidas. Em 2005 o Capital Inicial gravou um CD e DVD pela MTV homenageando o Aborto Elétrico. Além das músicas já antes gravadas, outras nova inéditas entraram no playlist: "Anúncio De Refrigerante", "Baader-Meinhof Blues nº1", "Benzina", "Construção Civil", "Despertar Dos Mortos", "Helicópteros No Céu", "Heroína", "Love Song One" e "Submissa".

Infelizmente, a canção "Benzina" foi gravada sem vocal, e no encarte sua letra não foi publicada. Segundo o que Dinho Ouro Preto disse no programa "Fanático MTV", caso alguém ouse cantar essa música, será imediatamente preso, devido as insinuações e apologias que a canção faz.

Gravação de um show do Aborto Elétrico na Funarte:

01 Fátima
02 Construção Civil
03 Ficção Científica
04 Veraneio Vascaína
05 Conexão Amzônica
06 Que País É Esse?
07 Love Song One
08 Tédio (Com Um T Bem Grande Pra Você)
Image and video hosting by TinyPic

Todos os integrantes e o tempo em que participaram do Aborto Elétrico:

André Pretorius (1978 - 1980);
Fê Lemos (1978 - 1982);
Flávio Lemos (1980 - 1982);
Ico Ouro Preto (1981 - 1982);
Renato Russo (1978 - 1982).

7 comentários:

  1. Muito obrigado pelo reconhecimento, pelo elogio. Procurarei manter a qualidade de meu trabalho.

    ResponderEliminar
  2. Cara ótima pesquisa, me ajudou muito a entender a história do Aborto Elétrico, só surgiu uma duvida, se o Dinho Ouro Preto nunca fez parte da banda, por que o Capital Inicial teve o privilégio de poder pegar algumas musicas da banda ?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A banda Capital Inicial surgiu após o fim do Aborto Elétrico e a divisão de integrantes e músicas entre Legião Urbana e Capital Inicial.

      Eliminar
    2. Decko, o Fê e o Flávio Lemos que eram do Aborto Elétrico são do Capital Inicial atualmente, por isso que algumas músicas do aborto hoje são do Capital.

      Eu acho que foi o Fê e o Flávio que formaram o Capital inclusive.

      Eliminar
  3. O conteúdo é muito bom mas tive dificuldades de ler por causa da letra, coloca em negrito ou as letras em preto.

    ResponderEliminar
  4. Plebe Rude não foi formada com o fim de Blitx 64?

    ResponderEliminar